domingo, 27 de março de 2011

Afinal, é um longo caminho.


Quando você se sentir um (a) idiota por completo.
O que não é lá muito raro para aqueles que sonham demais.
Ou esperam demais de si, e da vida em si, por mais que arrotem o contrário...

Que seja.
Quando se sentir um astronauta no deserto, um poeta em meio a guerra, um soldado em um monastério ou um fantasma em meio aos céticos.
Você entendeu e idéia...
Quando olhar pro céu procurando o peso que desce sobre seus ombros, mas só encontrar as nuvens pastando na distância. Alheias a seus probleminhas de merda...

Quando isso acontecer...

Quando se sentir caminhando pela trilha errada, e se perguntando em que bifurcação se enganou. Ou que tipo de furada resolveu se meter? Aquele famoso: “E agora?!”
A famosa vozinha vem na sua cabeça e sopra confiante e zombeteira, é um sussurro que mistura a voz daqueles que sempre duvidam. O tom desta voz é mais confiante que o seu será por toda a vida, mesmo durante um delírio megalomaníaco regado a álcool e a fortes certezas.

Essa voz lhe diz coisas horríveis:
- Por que não segue o fluxo, seu idiota? Agora pague pela petulância. E pague caro...

Você aprende a ignorá-la.
Não é o mais fácil, pelo contrário.
Mais fácil é ouvi-la. Não tenha duvidas.
Mas a esta altura já criou uma defesa contra seu instinto.
Uma espécie de “instinto anti-instinto”. Lembre-se que, neste caso, a auto-preservação não é bem o mais importante.

Quando estiver nesta situação...

Neste terreno ermo, árido, pedregoso e traiçoeiro.
Não se sinta sozinho (a) por nenhum instante. Procure ao redor.
Você olha para o lado e vê mais alguém fazendo a mesmíssima romaria.
Lá estou eu, que te aceno, te incentivo e você faz o mesmo em retribuição.
Antes de seguirmos, você percebe o que tanto pesa, entretanto só consegue notar olhando para sua nova companhia. Ás vezes é mais fácil deste jeito.
Marcando meu ombro, quase cortando a pele (isso inclusive explica a dor que tanto sente há tempos), está meu sonho. Tem um formato, um tamanho e um invólucro diferente do seu, mas o peso é igualzinho.
- Vocês nunca vão chegar lá. – As palavras peçonhentas chegam com o vento.
- Cala a boca vozinha! – Dizemos juntos, rimos e seguimos em frente.

Boa semana a todos.
Um forte abraço.
@Yvis_Tomazini

12 comentários:

  1. Adorei cara,nossa, o tom inicial dá aquela ideia de mensagens motivacionais que recebemos como spam, mas pow, mil vezes melhor, se recebesse umas assim ia abrir eler sempre.

    Mas sua mensagem é bem verdadeira, carregamos nossos sonhos com algo sempre a nos lembrar o quanto tudo pode dar errado e como seria mais facil seguirpelo caminho ja conhecido, so ser mais um na multidão. É ai que ta o grande barato de olhar pro lado e ver companheirosfeito tu, Celly, Carol e outros e estão com seus sonhos também sob os ombros, mas que podem olhar proslados e encontrar em nós um incentivo,assim como podemos buscar neles também folego para continuarmos, sempre!

    Boa véio!

    Abçoss e tenha uma boa noite (Vê se dorme! rsrs)

    ResponderExcluir
  2. Ahhh, antes que me esqueça, tem mais um selinho pra ti te esperando la no meu blog, pega lá http://brisanoturna.blogspot.com/2011/03/selo-desafio-leitura-nacional.html

    bj

    ResponderExcluir
  3. Eu sinto, quase a todo momento, o peso dos meus erros... um fortalecimento cruél.
    A melancolia se instaura, mas a maré também sobe, é hora de seguir, porque sempre é hora de seguir, não é?
    Eu costumo dizer: "Desistir não é uma escolha"

    A Beronique tá certíssima.

    ResponderExcluir
  4. hehhe e na compra de um CD com mensagens motivacionais, vc adquire inteiramente grátis um outro CD com mantras altamente relaxantes.

    ResponderExcluir
  5. Olá, gostei muito do seu blog, parabéns pelo visual dele também! Nos conhecemos do twitter, não sei se vc lembra? Gostaria de divulgar o meu: www.canela-s.blogspot.com Também tento tirar meus escritos da gaveta... Um Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Que coincidência Lygia, ACABEI de clicar no 'seguir' do seu! hauah não faz nem dois minutos.
    Passarei sempre no seu, tbm fui coma cara dele.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. É isso mesmo, Yvis! Continuemos nesse caminho incerto, porém extremamente gratificante!

    Força!

    ResponderExcluir
  8. Pois é Monique! E por falar nisso, e teu blog?
    Qdo sair n esquece de avisar!
    Bjo!

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    Tentamos contato por e-mail referente ao "BookTour Selo Brasileiro", mas não obtivemos resposta ainda. Seu grupo está fechado e já foi iniciado.

    Por gentileza, verifique sua caixa postal. Caso não encontre nosso e-mail, verifique se está na caixa de spams (lixo eletrônico).

    Caso ainda não encontre, cadastre o selobrasileiro@gmail.com em seu bookadress e entre em contato conosco através deste e-mail o mais rápido possível.

    Aguardamos.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  10. Mil perdões, e-mail confirmado (Spam).

    ResponderExcluir
  11. Oi Yvis,
    Adorei o texto. Tocar o F.... para a vozinha na mente às vezes dá uma revigorada bacana, ainda mais quando a vozinha vem de forma derrotista.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Pois é Rubia, as vezes é fogo. Tem q ser teimoso!
    beijão!

    ResponderExcluir

Muito obrigado por contribuir com A Caneta Selvagem.
Isso significa muito.
Yvis Rissi Tomazini