domingo, 6 de março de 2011

- São apenas histórias...




Espontaneidade + Perfeccionismo = Bloqueio
Do mesmo jeito que um dilema pode ser discorrido e filosofado pelo escritor, ele pode ser um obstáculo danado. Ainda mais quando se trata da própria escrita. Digo isso, pois depois de VÁRIOS meses, ainda não postei nenhuma narrativa.
Nenhuma amostra grátis.
Nadinha.
Tsc tsc...
- Mas ... o que aconteceu com aquela empolgação desenfreada e aquele impulso impetuoso expressado no cabeçalho do Blog?
Aconteceu o seguinte:
Pretendo no ‘A Caneta Selvagem’:
· Divulgar meus trabalhos;
· Divulgar trabalhos de comparsas (ou não comparsas);
· Dar pitaco sobre alguns tópicos relacionados à literatura em geral;
· Comentar e sugerir algum livro que eu tenha gostado;
· Postar meus próprios booktrailers.
· Postar trechos de textos meus. (ou escritos ou lidos em áudio)
· Por último e MAIS importante, disponibilizar (ou episodicamente no site, ou completa em PDF) uma novela (texto maior que um conto, mas menor que um romance).
Hoje alimentarei dois coelhos com uma cenoura só.
Dois posts em um!
Comentarei o último dos tópicos acima e no final darei uma pequenina amostra da minha escrita.
Cenoura I
A idéia primordial para este blog era justamente jogar periodicamente alguma história curta. Não fazia idéia, se semanalmente, ou mensalmente, mas seria o mais rápido possível.
E é aqui, ao falar desta tal novelinha, que me deparo com o Bloqueio (Cabrum!).
Não é um caso de bloqueio criativo, na verdade, é em parte o contrário disso.
Como vou saber o nível de qualidade certa deste tal texto? Uma "vozinha" vem na minha cabeça, e diz:
- Apenas escreva o melhor que conseguir, Sr. Caneta Selvagem.
- Não posso! Se colocar um texto muito bom aqui, corro o risco de perder o direito de usá-lo em algum concurso literário. E você sabe o quanto eles são importantes...
- Então escreve qualquer merda e tanto faz!
- Também não é tão simples! Não posso me queimar...
E tem outra, por tempos evitei criar um blog do gênero com medo de que alguém roubasse não só meus textos. Mas... Sim minhas idéias. Não se registra idéias. E não nos esqueçamos que mesmo aquilo que é ruim pode ser copiado! Bom, foi com este pensamento domando minha psique que decidi não postar nenhum de meus contos, e sim criar algo único e novo voltado para o meio digital. Com esta idéia veio também um desafio fresquinho: Narrar de forma episódica.
Em um delírio de grandeza, associo a situação a um roteirista de algum seriado de TV. Algum que assinou o contrato para uma temporada, mas não tinha todos os pormenores definidos.
- E se surgir uma idéia bem no meio do processo?! Mas esta fica impossível de ser desenvolvida, porque você não a tinha em mente quando criou os primeiros capítulos? Isso é um belo de um problema, Sr. Can...
- Cala a boca, "Vozinha"...
Que seja. A questão é: Sempre que me vem alguma coisa para narrar aqui, eu decido desenvolve-la do modo tradicional. Com direito a pesquisa e a edição de trechos já passados. Assim minha prateleira de textos inacabados uma hora cede ao peso e vai ao chão.
Espero que um dia esta loucura paranóica e doentia acabe, e torne-se freqüente as postagens deste gênero por aqui. Então quem sabe nesta ocasião este espaço sirva de uma vez para que de fato foi proposto: Contar histórias. Que não sejam nem boas e nem ruins demais.
- Apenas histórias...
Cenoura II
Como prometido irei mostrar o pedacinho de um trabalho que tenho feito sem pressa. Trata-se de uma narrativa em primeira pessoa de um garoto de 17 anos. Ele e os outros membros de sua banda de rock estão reunidos em um barzinho sexta à noite. Comemoram o aniversário de um deles ao mesmo tempo em que discutem o novo nome da banda. (Já que infelizmente o anterior já era de outro grupo). Que seja. Este é um trabalho descompromissado e totalmente despretensioso sobre um moleque falastrão. Um sujeito que, junto de seus amigos e da garota que é apaixonado a anos, passará uma noite caótica e onírica na presença do impossível e do perigo verdadeiro. Os acontecimentos são narrados nos limites da ilha de São Vicente, particularmente mais em Santos.
P.s. - Normalmente narro em 3ª pessoa, mas este carinha aí praticamente me pediu pra contar o ocorrido do jeitinho dele.
P.s.2 - Para aqueles que não gostarem do estilo: Fiquem tranqüilos, não é assim que escrevo normalmente. Experimentei muito aí. Para aqueles que gostarem: Valeu.




Os Caçadores de Estátuas
Yvis Tomazini
1 – Um Dezoitista de Primeira
Esta palhaçada toda só está sendo contada, porque eu desisti de escrever as letras da banda. Deixa isso pros gênios de plantão. Acontece que escrever está em mim e, agora, livre da Dona Rima e da Maria da Métrica, posso me expressar mais diretamente. Você sabe, sem necessidade de enfeites e “fru-frus”.
Vamos lá.
É sexta-feira a noite. Eu e a galera da banda estamos ao redor da mesa. As cervejas logo chegarão, mas os cigarros já vão abrindo nosso apetite. Temos todos 17, exceto Dimas, o baixista. O pobre diabo faz dezoito exatamente hoje.
- Meus pêsames, já pode ser preso.
Eu digo isso, porque ao fazermos dezoito, uma das primeiras coisas que vem na nossa cabeça é: “Porra, agora posso dirigir!”. To ou não to certo? Acontece que tem um detalhe, o Dimas não tem carro para dirigir e nem dinheiro pra comprar um. A única coisa que sobra pra falar então é: “Meus pêsames, já pode ser preso”.
Ele se contenta a rir do meu comentário cretino e a acenar acelerando o garçom. É um bom aniversariante, um “dezoitista” de primeira.
O boteco está vazio, deste jeito vai a falência. Observação: O garçom é o dono do bar, que por sua vez é tio do Dimas. Acho que ele deveria fazer um desses cursos de planejamento de negócio para aquecer o movimento. O único investimento que vi o cara fazer, foi comprar copos de gelo. Copos de plástico transparente que tem a parte interna oca, preenchida por água. Uma vez congelado garante a você uma cerveja divina.
Tudo seguiria o pragmático roteiro de nossas sextas-feiras, (Sim, não nos esforçamos para dar um dia diferente ao baixista) mas foi aí que a noite começou a ficar estranha, e mal sabia eu até que ponto ela chegaria. A geladeira principal deu pau, e o tio do cara pediu pra gente ficar de olho enquanto ia falar com o vizinho de estabelecimento. Acho que foi pegar o número de algum técnico. A segunda coisa bizarra, é que Ruan (O futuro ex-vocalista), acabava de chegar acompanhado de sua irmã.
Se tem uma coisa que eu sei sobre a Luana, é que ela detesta botecos. Tem vergonha, ou nojo. Provavelmente ambos. Mas lá estava ela toda “irresistivelzinha”. Claro que o “irresistivelzinha” dela nada tem a ver com muita pompa ou roupas de griffe. A garota sabe ser delicada do modo certo. A camiseta azul com uma estampa engraçadinha, dizia: “Puxe papo que sou legal”, mas a calça adornada por uma cinta de rebite, completava: “Sou legal, mas não sou idiota, seja cauteloso quanto ao tema abordado”. O cabelo liso e preto ficava na dele, o máximo que fazia era dar uma acenadinha aqui ou ali.
O tempo começou a mudar. Não precisa ser caipira, ou ancião para saber disso quando bate aquele ventinho de chuva. Pra mim isso é melhor. Se chover, a garota vai ficar ilhada aqui no bar...
Comigo.
E com toda a banda...
Foda.
O problema é que “toda a banda” agora inclui Alex, o novo vocal. Particularmente não vou muito com a cara dele não. Poderia simplesmente dizer que nosso santo não cruzou, porém existem motivos para a repulsa. Ele também escreve, e sendo assim já tem suas letras decoradas. Isso indubitavelmente é um empecilho pras minhas composições, saca? Outra coisa que desaprovo nele é o fato de não ter a mínima insegurança perto da Luana. É um perfeito filho da puta.
2 – O Perfeito Filho da Puta
Imagine alguém que cai de pára-quedas na sua vida. Pousa em cima de você, vira camarada de seus amigos e ainda por cima galanteia a garota dos seus sonhos. Me chame do que quiser. De invejoso, rabugento pra baixo. Mas, por favor, se disser que não teria uma ponta de dor de cotovelo, aí é aminha vez de xingar, e te xingo de hipócrita.
Tá. Desculpe, retiro o que disse.
Mas entenda que essa mudança alterou toda a...

To Be continued...

Tem muito mais escrito, mas acho bem mais provável que eu a solte inteira em PDF depois de mil revisões mais cautelosas. Será bem curta, algo em torno de 100 páginas, e escrevo justamente para o meio digital.

Abraços e ótima semana! o/
Fiquem com uma das músicas que me serve de tema pra este projeto http://www.youtube.com/watch?v=3cwvAyDCY-c
Ao vivo, cheia de defeito. Porque defeito é o tempero da beleza!
@Yvis_Tomazini

10 comentários:

  1. PQP cara, cê ta brincando que isso é so uma amostra gratis, não vai postar mais? I WANT IT!!

    Rsrs

    Adorei 3 coisas neste post:

    1 - Sua explanação sobre o blog. Fato, também tive muito medo de postar escritos meus no blog. Na verdade, já tenho o Brisa Noturna ha quase 3 anos, mas foi ha pouco mais de 1 que comecei a postar textos mesmo, contos, crônicas e tal, pois tinha muito medo desse tal fantasma do plágio, do roubo de textos, e depois quando comecei a postar, incentivada por amigos do meio literário, também havia o receio dos contos que poderiam ser bons para participar de concursos e seleções, mas que, uma vez publicados, poderiam não ser mais aceitos....fantasminhas desse tipo....

    2 - Finalmente leio algo (literariamente falando), escrito por vc, man! Estava ansiosa por isso!

    3 - Adorei a historinha, embora breve, esta muito bem contada (e muito engraçada, rsrs, tive que ficar me segurando aqui, com o homem me perguntando do que eu estava rindo tanto, kkkk), mesmo que não seja seu estilo normal de escrever, ta valendo! ^^

    Quando será possivel ler o resto?? I want moreee!!!

    Bjoss rapazinho, parabéns pelo primeiro texto do blog! Que, de onde veio esse, venham mais!!

    ResponderExcluir
  2. Valew Veronica pelo incentivo!

    heheh depos q li aquele teu post sobre o incubus tratei de elaborar os meus aqui! heheh
    Pois é meu nesta historinha ai, eu tenho o objetivo de ser bem simples e objetivo! Logo mais termino ela, e coloco em PDF! A proposito, mais uma vez parabens pela antologia da GULA ! o/

    ResponderExcluir
  3. Oh, realyy thanks guy ^^!! Now...LUST, ehehe >:D

    Putzz,quase ia te chamando de Vincenzo XD, o nome ta na minha cabeça q nem chiclete, dediquei o dia ao persona do mal, rs.

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Sobre: Os Caçadores de Estátuas
    Bacana. Gosto do texto corrido, das idéias (do personagem)cuspidas, das volatilidades da persona principal. Curti, e espero por mais.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom você pensar e escrever (porque escrever tem uma linearidade e função de raciocínios bem especificas) sobre a sua produção, estando ela à mostra ou não, e isso sempre nos faz melhorar.
    Vamos ver pra onde vai te levar então esta dualidade, "Sr. Caneta Selvagem" versus "Vozinha na sua cabeça".
    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Nossa, só ao ler esse texto eu percebi que nunca havia lido nenhum texto seu antes. E agora, o que posso dizer. Aquele cara afoito e cheio de lacunas ao mesmo tempo do msn foi embora da minha cabeça completamente, foi com ele tbm (não meleve a mal)a má impressão daquelas abreviaturas infames. hehe
    Gostei da sua escrita. É clara, engraçada, leve e saborosa. Mostra que vc tem um raciocinio claro, preciso, em suma, tem muitas ideias interessantes guardada nesta massa cinzenta, e sabe escrever para adolescentes ;)

    Sobre a história do blog. Lembrou muito a minha, comecei postando fragmentos de algumas histórias minhas engavetadas. A partir da segunda postagem tentei fazer algo mais explicativo. Eu jamais havia feito um conto antes, e sem perceber estava eu reduzindo minhas histórias em contos. Acabei virando contista assim - tá grandessissíma contista, mas e dai?! A minha maior surpesa foi descobrir que algumas pessoas gostavam. Alguns comentários que recebi foram muito importantes para mim. sabe, aquelas coisas que te fazem persistir. Tbm já passei por todos esses dilemas que vc descreveu ai, mas as vezes é legal arriscar uma vezinha. Se eu nunca tivesse lido esse teu texto ia continuar te vendo como aquele cara que escreve com abreviaturas e sabe contar piadas de vez em quando. Ou seja, é importante mostrar-se de vez em quando ou as pessoas jamais verão teu potencial.
    Abraços colega, e, quero ver a continuação disto ai.

    Nossa, minha postagem quase ficou identica a de Vêronica, só agora percebi. :P

    ResponderExcluir
  7. A propósito, homem precavido. Registre seu blog pelo myfreecopyright, ou qualquer outra licença. Vc recebe o registro das atualições de seu blog em seu email e já serve de prova caso venha a ocorrer algo. ^~

    ResponderExcluir
  8. Poh, Celly eu achava q vc me achava legal! msn é msn digito tudo errado! Mas valeu heheh =)

    (vou registrar aí então, eu nem conhecia)

    ResponderExcluir
  9. E eu te acho legal, senão não teria o atrevimento de ser tão sincera. Textos de msn tem que ser práticos mesmo, duvido que seria tão divertido se fosse uma coisa mais formal. Olha só, eu não falei por mal, era só pra vc ter uma ideia de qual foi a mudança na imagem que eu tinha de ti na minha cabeça após ler o texto. ;)

    ResponderExcluir
  10. eu sei rs to brincando, fiquei contente e confiante por ter gostado =)

    ResponderExcluir

Muito obrigado por contribuir com A Caneta Selvagem.
Isso significa muito.
Yvis Rissi Tomazini